• Sage

EXPORTAÇÃO: UM MAR DE OPORTUNIDADES



A exportação de produtos é uma atividade recompensadora quando bem planejada. Muitos produtores têm como anseio alcançar a própria independência do mercado interno através da exportação, entretanto, a falta de experiência costuma ser uma grande barreira inicial para aqueles que querem exportar.

Mesmo assim, muitos atrativos a isto não faltam. A desvalorização monetária que torna nossa política cambial cada vez mais atrativa à exportação de certos produtos, o clima de instabilidade em certos setores da economia brasileira e a possibilidade de alcançar novos mercados são motivos para sentir-se tentado a aplicar métodos de exportação ao seu negócio.

Neste quesito, as realidades de cada negócio e empresa podem ser de grande impactado. A realidade estrutural pode ser um fator de distinção, mas acima de tudo, a retenção de informação técnica para isto se torna essencial. Abaixo descreveremos alguns impactos que a exportação pode causar no seu negócio, destacamos alguns fatos, acordos e tratados que podem ser facilitadores à exportação dos seus produtos, além de também destacarmos como os serviços que a Sage presta podem te ajudar na nessa jornada:


POR QUE EXPORTAR?



A palavra exportação, infelizmente, ainda figura no imaginário de muitas pessoas como um monstro de sete cabeças, o qual apenas empresas de grande porte seriam capazes de enfrentar. Mas não é bem assim. Mesmo empresas de pequeno porte podem exportar.

Nesta seção deste artigo iremos desmistificar um pouco esta questão e apresentaremos as principais vantagens de uma empresa que adentra em um mercado estrangeiro.

Exportar utilizando profissionais capacitados e que entendem as necessidades e o momento da empresa é algo capaz de trazer muito sucesso e inúmeros benefícios para o seu negócio. Ao dar entrada em um novo mercado, você passa a:


1 - AUMENTAR O SEU MARKET SHARE



Aumentar o seu market share e adquirir novos perfis de público-alvo que podem, ou não, já estar familiarizados com seu produto ou serviço. Ao adentrar um novo país, o seu produto/serviço passa a adquirir uma nova fatia de mercado e passa a disputar com outras empresas. O público-alvo pode sofrer variações que posteriormente se transformaram em dados úteis para análises do presente e prospectos futuros da empresa.


2 – ADQUIRIR MENOR DEPENDÊNCIA DO MERCADO INTERNO



Depender menos do mercado interno de seu país de origem. A conquista de um novo market share fora do território de atuação original da empresa representa um passo importante rumo à liberdade. Uma nova fatia de mercado no exterior simboliza um decréscimo na dependência com o mercado interno e uma menor suscetibilidade aos períodos de instabilidade.


3 – CONSEGUIR ACESSO A NOVAS TECNOLOGIAS



Ter contato com novas tecnologias. O processo de benchmarking que pode ser realizado fora do território original de atuação na empresa pode ser de grande valia, pois esse processo de busca por melhoria de processos e práticas fora da zona comum de investigação pode levar a uma evolução constante.


4 – MELHORES PARÂMETROS DE QUALIDADE



Melhorar o desenvolvimento da empresa e a qualidade do produto/serviço. Lançar seus produtos no exterior é um trabalho árduo, uma vez que envolve muitas melhorias internas para que aquilo que se quer exportar atinja os padrões mínimos de qualidade que foram predeterminados. Sendo assim, a tendência lógica e natural é que a empresa e o produto se desenvolvam, já que para atingir o padrão de qualidade exigido para exportação, os funcionários passaram por qualificações, provavelmente foram implementados novos processos gerenciais, novas ferramentas de gestão e etc.


5 – ACESSAR BENEFÍCIOS FISCAIS



Receber benefícios fiscais. O governo brasileiro conta com uma série de incentivos fiscais para que mais empresas passem a exportar e, de modo geral, garantem um custo final com um valor menor, já que uma série de impostos sofrem alteração quanto ao valor ou porcentagem cobrada.


6 – AUMENTAS VENDAS E LUCRATIVIDADE



Aumentar suas vendas e sua produtividade. A conquista do novo market share pode trazer para a empresa uma ascensão considerável nas vendas e na produtividade, de acordo com o país que esta decidiu exportar, com o momento do business e com as estratégias que serão empregadas no processo. Esse aumento se justifica pela mudança de comportamento que é necessário para iniciar um processo de exploração de novos mercados no exterior.


QUAIS OS INCENTIVOS À EXPORTAÇÃO?



Como forma de incentivar a venda de produtos e serviços no mercado internacional, o governo brasileiro tem, historicamente, criado e mantido iniciativas de incentivo fiscal que amortecem a carga tributária sobre empresas exportadoras.

Uma grande parte dos impostos aplicados sobre produtos ou serviços no Brasil não incidem, ou incidem de forma menos agressiva, sobre a produção de produtos a serem exportados. Nisso, tanto a compra de insumos para a produção, seja no mercado nacional ou internacional, quanto a venda ao mercado exterior não viriam a ser taxadas.

Entre estes impostos, alguns exemplos são: ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços); PIS (Programa de Formação do Patrimônio); Confins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) e o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).

Mas e além dos impostos brasileiros? Há incentivos para contrapor barreiras alfandegárias de outros países? A resposta é sim!

O Brasil faz parte de diversos acordos comerciais diferentes que tornam a exportação mais fácil através da diminuição ou até mesmo eliminação de barreiras protecionistas para a comercialização de certos produtos com os países que possuímos acordo.

Atualmente, o Brasil tem os seguintes tipos de acordos comerciais: ACEs (Acordos de Complementação Econômica), ACFIs (Acordos de Cooperação e Facilitação Financeira), APTRs (Acordos de Preferência Tarifária Regional); AAPs (Acordos de Alcance Parcial) e o Mercosul.

Os Acordos de Complementação Econômica são acordos que visam promover áreas de livre comércio, o desenvolvimento conjunto, os investimentos recíprocos e a cooperação econômica e tecnológica. Geralmente, eles estabelecem condições para a implementação de mercados comuns que possuem isenção tarifárias ou redução de tarifas para certos produtos dos países envolvidos. Estes acordos favorecem exportação de produtos e serviços.

Os Acordos de Cooperação e Facilitação Financeira são baseados em um modelo de acordos criados pelo governo brasileiro com a função de fomentar cooperações institucionais e facilitar o fluxo de investimentos entres os países assinantes. Estes são acordos focados em favorecer investidores.

Os Acordos de Preferência Tarifária Regional foram acordos primariamente implementados durante a criação da ALADI (Associação Latino-Americana de Integração). Estes acordos focam, geralmente, no estabelecimento de Preferências Tarifárias Regionais (PTRs), as quais permitem aos países-membro ofertarem melhores tarifas aos outros assinantes do acordo de acordo com o grau relativo de desenvolvimento de cada um. Isso torna a exportação de certos produtos específicos para certos países específicos algo ainda mais lucrativo.

Os Acordos de Alcance Parcial são focados no incremento de fluxos de comércios bilaterais, por meio trocas de preferencias tarifárias entre os países-membro. Assim como o tipo de acordos citado anteriormente, sua função é permitir a venda e compra de certos produtos em condições mais atrativas.

Por fim, temos o Mercosul (Mercado Comum do Sul), um processo de integração regional do qual Brasil, Agentina, Paraguai e Uruguai, inicialmente, criaram. Outros países foram adicionados posteriormente. Entre os seus objetivos estão gerar integração nos âmbitos político, social e econômico. Por isso, é comum que os países signatários e outros países parceiros dos blocos tenham tratados de livre-comércio abrangentes, além de outros acordos de preferência tarifária para as situações em que a isenção tarifária não se aplica.


Como a Sage pode te ajudar nisto tudo? A Sage é um Empresa Júnior de Relações Internacionais focada em Comércio Exterior. Buscamos tornar o sonho de alcançar a exportação algo mais próximo da realidade para empresas pequenas que estejam adentrando no segmento e para isso oferecemos uma variedade de serviços diferentes que podem te ajudar neste processo. Desde de Seleção de Mercado-alvo e Análise de Mercado até Prospecção de Fornecedores, podemos te ajudar a escolher os países que mais se encaixam com o seu negócio, buscando sempre as melhores condições de mercado e tarifárias para oferecer um serviço ideal pra você!

5 visualizações0 comentário